4 de nov de 2009

Vale a pena sonhar e sonhar?
Seguir involuntariamente por linhas tortuosas, sabendo que essa, talvez, seja a maneira mais natural de viver?
Não achar que se está fazendo o certo sempre, e com isso, aprender cada vez mais?
Saber que mesmo sofrendo, chorando, mas gozando, a vida é bela?
E poder perceber como é linda aquela manhã mais azul, a lua saindo por trás das árvores, ou o mar no meio da paisagem urbana?

Nenhum comentário: